A ARCA DA NOE

Noemi Vázquez. Filóloga. Programadora cultural. Dinamizadora da música, da literatura, das artes plásticas… e da economia local no seu ámbito de actuação. Mulher trabalhadora que dá trabalho e oportunidades a muita gente.

No Grandes Vozes queríamos conhecê-la e ela, com amabilidade, estacionou o carro à beira da estrada Lugo-Ourense e atendeu a nossa chamada para nos falar da Arca, esse extraordinário lugar de encontro em Vilar de Santos.

KHIRA É A “ESTRELA GUIA”

“Nha estrela guia, // Bu ta dan tanto inspiração más harmonia, // N ‘ta perdi nes imensidão xintido vida, //Munto más cun simples união bu ta // Pon brilha un ta dedicáu nha motivação”. Quem põe voz a estes versos é a Khira, aquela menina que com 6 anos de idade manifestou desejo e vontade de ser artista e que moveu os fios para o conseguir.

“As minhas raízes estão nas ilhas, em São Tomé e em Cabo Verde. Os meus pais conheceram-se em Portugal e aqui fizeram nascer a Khira”. Assim foi a apresentação à Ruth e ao Edilson, condutores da edição 165 do nosso programa.

JOVENS DO HUNGO

O hungo é um instrumento musical tradicional angolano de origem do sul, conhecido também como berimbau e como m’bolumbumba. Em Angola é utilizado por diferentes nacionalidades e através da população angolana escrava foi levado para o Brasil, onde passou a ser utilizado para acompanhar a capoeira.

A banda angolana Jovens do Hungo nasceu em 1989 e só três anos depois (em 1992) assentaram-se em Lisboa. Quando vão decorridos outros tantos decénios, a equipa musical continua com a mesma base: Tony, Vítor, Augusto e o Nelo.

No Grandes Vozes lançamos para o mundo todo as suas músicas. A conversa entre Nelo Tavares e Ruth Fidalgo marca mais uma meta superada pela equipa do nosso programa.

ALEX DJIMMY EM CONCERTO NA GALIZA

O artista no estúdio de Rádio Burela. Está acompanhado por Ruth Fidalgo Varela e Edilson Sanches Tavares, condutores do programa dirigido por Marco Pereira, e por Matías Nicieza, que se ocupou da realização.

CABO VERDE, SÁBI

Leva-me ao mar do som desta África,
mostra-me o pranto do teu cantar.
Jura-me a vida nos olhos verdes,
vendo-che a alma por ver bailar.
Fala-me sempre da festa em terra,
do cheiro da ilha do bom cantar
dos bares, da mornas, das coladeiras
sem tempo, sem pressas, sem duvidar

Cabo Verde, Sábi
Cabo Verde, Sábi
Cabo Verde, Sábi (bis)

Santa Luzia, dá-me a tua vista,
do Monte Verde a tua paixão,
o som dessa baía das gatas,
o teu batuko neste acordeão.

U os pianos da nossa ilha,
u as colheitas da cor do sol?
Está na vida dos emigrantes
está na terra do coração.

Cabo Verde, Sábi
Cabo Verde, Sábi
Cabo Verde, Sábi (bis)